"O Porquê dos Gatos na Minha Vida"

 

Sempre tive uma intensa ligação com os animais, uma espécie de vocação. Às vezes chego a pensar que nasci pra eles! Quando criança meu pai mostrava revistas com várias fotos com objetivo de estimular a minha fala, mas as únicas palavras balbuciadas eram quando apareciam fotos de animais, a que eu mais gostava era a foto do “Tiguili” (Tigre), minha primeira palavra. Essa foi a minha primeira ligação com os felinos. Precocemente escolhi minha profissão, aos 2 anos de idade, dizendo com convicção: - quero ser médica de cachorro! Meu Pai, meu sempre amigo e companheiro, sem entender pensava. “Toda criança quer ser médica de criança... essa menina não deve ser normal!”

E assim foi o início da minha paixão pelos felinos. Mas ainda não podia ter gatos, porque tinha a casa dos meus pais cheia de cães, por culpa minha é claro!

Durante minha graduação, em medicina veterinária, decidi ter um gato de qualquer maneira. Sempre pensava “Como posso tratar de um animal sem conviver com ele?” Cometi o erro clássico do comprador de animais, fui numa feira de animais e comprei um exótico de padrão pet, mas isso não me importava na época, queria mesmo aprender com ele e realmente aprendi muito. Obrigada “Pipi”!

A partir daí ter um gatil foi só mais um passo, concluí com êxito minha graduação, me especializei em Clínica Médica de Felinos, e não pretendo parar, continuarei sempre correndo atrás do meu destino, os felinos.

Nós, veterinários, aprendemos muito com os animais, feliz de quem consegue interpretar e imitar suas instintivas atitudes nas diferentes situações. A nossa “racionalidade” nos deixa em desvantagem frente ao instinto animal.

 

 

 

Por:

Juliana Machado Batista

Médica Veterinária - CRMV-RS 8925

Especialista em Clínica Médica de Felinos